Publicidade

Vereador Pavão Filho acusado de agredir líder comunitário

De deputado a vereador, Pavão Filho agora sob acusação de agressão.

O vereador ludovicense Pavão Filho (PDT) está sendo acusado de injúria, lesão corporal dolosa e dano, de acordo com Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia do bairro Cidade Olímpica (18ª DP). A vítima seria o presidente do Conselho Fiscal da Associação dos Moradores da Vila Riod, Leonardo Costa.

De acordo com o B.O., Pavão Filho e Leonardo participavam de “uma reunião para discutirem sobre obras públicas que estão ocorrendo no bairro”, juntamente com moradores e representantes de outros bairros da região, quando o o vereador foi questionado sobre a existência de um posto de saúde que só vive fechado e não atende as necessidades da comunidade. O tal posto de saúde, segundo relata a vítima, estaria sob domínio de Pavão Filho.

O vereador ficou irritado com o questionamento e “partiu para cima de Leonardo, que no momento estava com seu filho no colo”, uma criança de apenas 1 ano e seis meses. Pavão o teria empurrado e insultado com palavras como “imbecil, burro, idiota, palhaço”, e estendeu as agressões à mãe de vítima, uma senhora de 67 anos de idade, que foi empurrada. Segundo o relato, outras pessoas se juntaram para dar apoio ao vereador.

Constam como autores da agressão Ledilson Leitão Silva, vulgo Pajé, que teria ameaçado a vítima, e outro homem identificado apenas como Estevão, que seria ligado ao vereador, e que proferiu palavras de ofensa contra Leonardo, chamando-o até de drogado. Pavão Filho também é acusado de danificar um aparelho eletrônico, um tablet, que foi tomada das mãos da vítima.

A agressão ocorreu na frente de várias pessoas no auditório do Centro Comunitário Dr. Afonso Amaral, no dia 28 de abril. O Boletim de Ocorrência foi registrado no dia seguinte, e o fato comunicado às autoridades. O presidente do Conselho Fiscal da Associação dos Moradores da Vila Riod, Leonardo da Silva Costa, relata que vários delegados tomaram conhecimento da ocorrência, que foi também comunicada à Secretaria de Segurança Pública, mas nenhuma providência foi tomada.

Veja abaixo o B.O.

 

 

 

Busca