Publicidade

Tudo em família: prédio de parente alugado para a Secretaria de Saúde de Murad

Mais uma caso que demonstra o modus operandi do grupo que se instalou no Maranhão para usar e abusar do povo e das finanças do estado por décadas. Nepotismo, privilégios e favorecimentos sempre foram tidos com as coisas mais normais do mundo para essa turma. A seguir, preste atenção nos nomes e sobrenomes envolvidos.

A Secretaria de Estado da Saúde (SES) sob comando do condenado Ricardo Murad manteve alugado um prédio localizado na rua Silva Jardim, nº 600, Centro de São Luís, de um Sr. chamado Júlio Gonzalez. O contrato de número 07/2010/SES consta no Diário Oficial de 05 de março de 2010, com valor anual de R$ 216 mil, onde consta a Sra. Márcia Maria Leite Oliveira como Assessora Jurídica da SES.

Depois de passar por vários aditivos, o contrato chegou ao valor de R$ 262 mil por ano, de acordo com Termo publicado no Diário de 07 de janeiro de 2014, onde, dessa vez, consta o Sr. Márcio Gonzalez Leite como Assessor.

Durante a gestão Muradista na Saúde do estado, o secretário adjunto da SES era o médico José Márcio Soares Leite, um dos orquestradores das tentativas de “melar” a licitação promovida pelo governador Flávio Dino na rede estadual de saúde. O Ministério Público de Contas (MPC) entrou com uma representação contra a licitação. Uma das procuradoras do MPC é Flávia Gonzalez Leite.

Caro leitor, observe os sobrenomes em destaque. A não ser que haja uma conspiração cósmica única no universo que tenha levado a impressionantes coincidências de sobrenomes, ou a não ser que estejamos diante de um estupendo caso de homonímias, trata-se de gente da mesma família.

Pelo menos já se sabe que o ex-subsecretário da SES José Márcio Leite é pai do então assessor Márcio Gonzalez Leite e da procuradora Flávia Gonzalez Leite, que devem ser netos de Júlio Gonzalez, o dono do prédio alugado.

Flávia, filha de Zé Márcio, adjunto de Murad

 

Busca