Publicidade

Rejeição de Dilma chega a 62%, diz Datafolha

Governanta do Brasil alcança a maior rejeição desde 1992 para um presidente da República. Com 62% de reprovação segundo o Instituto Datafolha, Dilma Roussef só fica atrás de Fernando Collor de Melo, que às vésperas de sofrer o impeachment chegou a 68% de rejeição.

Em meio à crise econômica e escândalos envolvendo a Petrobras, o índice de reprovação governo Dilma aumentou 18 pontos em relação ao mês de fevereiro, quando 44% dos entrevistado consideraram a gestão da petista ruim ou péssimo.

No levantamento deste mês de março, as maiores taxas de rejeição foram registradas no Centro-Oeste (75%) e Sudeste (66%).

Se por um lado a taxa de rejeição subiu, consequentemente caiu o índice de aprovação. Somente 13% dos entrevistados consideram a gestão boa ou ótima, indece mais baixo desde o primeiro mandado de Dilma. Os maiores índices de aprovação foram registrados nas regiões Norte (21%) e Nordeste (16%), que, apesar de ter sido a região onde Dilma obteve a maior votação nas eleições de 2014, surpreedemente não é a região que registra a maior taxa de aprovação.

2.842 pessoas foram ouvidas no levantamento do Datafolha realizado entre segunda (16) e terça-feira (17). A margem de erro da pesquisa é de dois pontos percentuais. A pesquisa foi publicada no jornal Folha de São Paulo.

 

 

Busca