Publicidade

Operação da PF prende suspeito de fraude no seguro-desemprego no Maranhão e em mais dois estados

Polícia Federal cumpre mandado de prisão na casa de um dos suspeitos em Palmas (Foto: Divulgação/PF)

Polícia Federal cumpre mandado de prisão na casa de um dos suspeitos em Palmas (Foto: Divulgação/PF)

Uma operação realizada pela Polícia Federal (PF) desarticulou uma quadrilha que fraudava benefícios no seguro-desemprego. Na operação chamada “Xeque Duplo”, os policiais prenderam 11 pessoas no Tocantins, cinco no Goiás e quatro no Maranhão. Estima-se o grupo tenha causado um prejuízo de 10 milhões à União.

Segundo a PF, indícios colhidos no inquérito policial demonstram que a organização criminosa tinha acesso ao sistema do Ministério do Trabalho e Emprego. Eles faziam o requerimento do benefício usando dados do PIS de trabalhadores reais e fictício. Para fraudar a documentação, o grupo criavam perfis de desempregados por meio de falsos referentes a empresa laranjas.

Entre os crimes aos quais os acusados devem responder, segundo a polícia é organização criminosa, estelionato, falsificação de documento, uso de documento falso, falsificação ideológica, inserção de dados falsos em sistema e lavagem de dinheiro.

Segundo o delegado responsável pelo caso, Danilo Robatto, os membros são suspeitos ainda de terem aliciado servidores da Caixa, Sine e Ministério do Trabalho e Emprego. A polícia informou ainda que nesta quinta-feira (23), foram apreendidos veículos, computadores, aparelhos celulares, espelhos de formulários de seguro, documentos falsificados e uma máquina para falsificar documentos.

Busca