Publicidade

MP dará andamento às investigações sobre ofensas a maranhenses na internet

O Ministério Público do Maranhão prossegue as investigações para apurar manifestações preconceituosas contra o povo maranhense emitidas pelo Facebook, no início do mês, por uma pessoa identificada como Isabela Cardoso, que teria morado no estado durante um período em que seu marido trabalhou na empresa de papel e celulose Suzano, de Imperatriz.

Por meio de Procedimento de Investigação Criminal, instaurado pelos promotores de justiça Joaquim Ribeiro Júnior, Alessandro Brandão e Ossian Bezerra, da Comarca de Imperatriz, há indícios de que o perfil na rede social é falso, já que incluiu uma foto de outra pessoa.

Segundo o promotor Joaquim Júnior, ao tomar conhecimento do caso com a repercussão que tomou, a estudante Amanda Amorim, do Rio Janeiro, entrou em contato com as Promotorias de Justiça de Imperatriz, para informar que a foto usada no perfil de Isabela Cardoso é dela, que nega ser autora das ofensas contra os maranhenses.

O Ministério Público do Rio de Janeiro foi acionado para checar a veracidade da informação. Orientada a comparecer à sede da instituição, a estudante foi até lá e levou documentos pessoais com foto. “Ficou constatado que ela, de fato, é a pessoa que aparece no perfil atribuído a Isabela Cardoso”, informou Joaquim Júnior.

Segundo os membros do MPMA, diante da constatação, tornou-se ainda mais justificável a continuidade das investigações, uma vez que, além das opiniões preconceituosas, o fato em si contém mais um crime, pois a pessoa responsável utilizou fotos e a identidade de outra pessoa.

 

Com informações do Ministério Público Estadual (MPMA)

 

 

Busca