Publicidade

Locutor de rádio, repórter de jornal e fotojornalista estão entre as profissões mais estressantes.

Dados de uma pesquisa realizada pelo site CareerCast, divulgados nesta semana, mostram que 3 profissões na área de comunicação social estão entre as 10 mais estressantes: locutor de rádio, repórter de jornal e fotojornalista. Entre estas, a menos bem avaliada é a de locutor de rádio, que figura no 7º lugar no ranking .

O estudo, que tem como base o mercado dos Estados Unidos, aponta que trabalhar com a produção de notícias pode ser tarefa prejudicial ao sistema nervoso, porque profissionais da área são cobrados por atuarem sob os “olhos do público”. De acordo com os organizadores do estudo, quem atua no dia a dia à frente dos microfones de uma emissora radiofônica tem média de salário anual de US$ 60.070,00. A taxa de estresse, item que define as posições, é de 50.30.

Duas posições atrás da função de locutor de rádio, fotojornalista tem o nível de stress pontuado em 49.22, com salário anual médio de US$ 42.530,00. Na décima colocação do levantamento definido pelo CareerCast, repórter de jornal tem a média dos ganhos anuais 38,26% menor que o salário de um locutor de rádio, recebendo US$ 37.090,00. A taxa de estresse é avaliada em 48.76.

Ao falar da função, os responsáveis pelo top 10 de apostas de profissões estressantes em 2015 chamaram a atenção justamente para os “baixos salários” da área, além da ameaça de ser demitido. “Essa é a vida diária de um repórter de jornal, que faz tudo ao mesmo tempo com prazos exigentes”, observa a pesquisa.

Confira, abaixo, a lista completa do CareerCast com as profissões estressantes:

10°- Repórter de jornal

9°- Fotojornalista

8°- Coordenador de eventos

7°- Locutor de rádio

6°- Ator

5°- Policial

4°- Polito de avião

3°- General militar

2°- Militar alistado

1°- Bombeiro

 

Fonte: Portal Comunique-se, com edição do jeisael.com

 

 

 

Busca