Publicidade

Lobão diz à PF que Palácio do Planalto indicava nomes para Petrobras

Roseana-Lobao-Roberto-Costa-386x430

Do G1 (com edição) – Em depoimento à Polícia Federal, dentro das investigações da Operação Lava Jato, o senador e ex-ministro Edison Lobão (PMDB-MA) afirmou que, “tradicionalmente”, os diretores da Petrobras são indicados pelo Palácio do Planalto para depois serem “oficializados” pelo Conselho de Administração da estatal. Segundo o parlamentar, que chefiou o Ministério de Minas e Energia por sete anos, ele próprio nunca fez nomeação de diretores da estatal.

O depoimento de Edison Lobão foi divulgado nesta segunda-feira (22) dentro do maior inquérito que tramita no STF sobre o caso, envolvendo 39 pessoas. Além de negar participação na escolha de diretores da Petrobras, Lobão afirmou que coube a ele comunicar a Paulo Roberto Costa sua demissão da estatal, em 2012, por “recomendação” do Palácio do Planalto, “não sabendo dizer quais os motivos” para a decisão, conforme registrou a PF.

Em sua delação premiada, Paulo Roberto afirmou ter repassado, a pedido de Lobão, R$ 2 milhões para a campanha eleitoral de Roseana Sarney ao governo do Maranhão. No depoimento, Lobão negou e disse ter recebido a suspeita com “indignação e revolta” e que considera uma “infâmia” a afirmação de que teria pedido dinheiro a Paulo Roberto. Em depoimento em maio, Roseana também negou ter se beneficiado com suposta doação.

Busca