Publicidade

Lei para proibir som dentro de ônibus em São Luis: sugestão aos vereadores

Nada mais chato do que andar de ônibus tendo que aguentar os “DJ's de buzão”. Uma raça que se multiplicou como praga de uns tempos para cá, principalmente, com o fácil acesso aos novíssimos sistemas rái-téque chineses, os famosos radinhos ching-ling. Extremamente portáteis, baratos, com baterias de longa duração, capazes de fazer frente até à mais potente radiola de regue quando alinhados em grupo (tá bom, exagerei aqui), os radinhos ching-ling são o terror dos ônibus, terminais de integração, recepção de consultório, bares e lanchonetes e, pasmem, enfermarias de hospitais.

Agora somos obrigados a conviver com os “DJ's de radinhos ching-ling” em todos os cantos. Lembram que disse que eles se multiplicaram como praga? Mas, onde eles são mais facilmente encontrados, realmente, é dentro dos coletivos que circulam nas ruas e avenidas de São Luis.

É preciso devolver a paz aos usuários do transporte coletivo e restabelecer o sagrado direito dos passageiros à individualidade, afinal, o que não falta é gente mal educada e, diga-se de passagem, de duvidoso gosto musical perturbando a paz e o sossego de quem já tem de enfrentar uma rotina desgastante, andando em ônibus velhos e lotados, num trânsito caótico, depois de um estressante dia de trabalho.

Portanto, fica a dica aos nossos vereadores, que não devem andar de ônibus, e, na maioria das vezes, estão mais preocupados com o próprio umbigo, para editar uma lei que proíba o uso desses equipamentos, a não ser que o “DJ” faça uso de fones de ouvido. Vossas Senhorias podiam seguir o exemplo de várias cidades brasileiras que já contam com legislação nesse sentido. No caso daqui, não esqueçam de incluir outros ambientes coletivos como os citados neste texto.

O que diz a lei

Em todas as cidades onde há legislação para o assunto, a lei determina que as empresas de transporte coletivo municipal devem avisar aos usuários, com cartazes, que a prática é uma infração. O usuário que se negar a desligar o aparelho de som deverá ser retirado do interior do veículo, e, caso seja impossível retirar o infrator por meio do diálogo, deverá o motorista ou cobrador solicitar a presença de uma autoridade policial.

Na maioria das cidades, a lei se parece muito. Os passageiros que se recusam a cumprir a lei, recebem uma advertência na primeira infração. Na segunda infração, uma multa Em caso de reincidência. O valor da multa dobra. São valores que vão de 50 a 100 vezes o valor da passagem, ou seja, com o preço atual de R$ 2,10 para a maior tarifa em São Luis, as multas iriam de R$ 105,00 a R$ 210,00. As empresas que também não cumprirem seu papel, informando ou denunciando esses passageiros, podem pagar multas do mesmo valor.

'Aparelho de som' compreende: telefones celulares, computadores portáteis ou de mão, rádios portáteis, mini caixas de som portáteis e tocadores pessoais de música em formato digital.

#ficaDica

 

Busca