Publicidade

Jornalista. Profissão Perigo?

 

94 Jornalistas Mortos em 2010.

106 Jornalistas Mortos em 2011.

Dados da Federação Internacional dos Jornalistas (FIJ) mostram o aumento no número de Jornalistas assassinados no exercício da Profissão no mundo.

O Brasil é apontado em levantamento feito pela Inter American Press Association (IAPA) como o 3o país com mais Jornalistas assassinados na América Latina. O México lidera a lista seguido por Honduras. Entre os principais motivos para a morte de Jornalistas, segundo o IAPA, estão as denúncias de esquemas de tráfico de drogas e de corrupção em governos.

Em 2012, só nos primeiros 45 dias do ano, 3 Jornalistas foram assassinados no Brasil:

Laércio de Souza – Morto a tiros na Bahia, no dia 3 de janeiro;

Mário Randolfo Marques – Morto a tiros no Rio de Janeiro, do dia 8 para o dia 9 de Fevereiro;

Paulo Rocaro – Não resistiu a um atentado à bala em Ponta Porã, MS, em 12 de fevereiro.

Agora, na noite desta segunda-feira, dia 23, a morte do Jornalista Décio Sá, na Av. Litorânea, em São Luis, MA.

Mas essa é diferente? É. É pertinho da gente aqui. Dá medo? Dá sim. Como escreveu Marco D`Eça : “Engana-se quem pensa que jornalista não tem medo. Mas o medo não pode prevalecer.”

O assassinato do Jornalista Décio tem a clara intensão de, pela imposicão do medo, calar a imprensa. É um recado claro.

Precisamos acreditar que as autoridades policais e judiciárias do Maranhão se empenharão na elucidação e punição dos responsáveis, mas ouso dizer que duvido muito que o mandante (se houver – e eu acho que há) vá parar atrás das grades, visto que gente grande, muito grande, pode estar por trás da autoria intelectual do crime.

Enquanto isso, o ranking da violência contra Jornalistas avança no país. Violência tendo como principais agressores, na maioria das vezes, políticos regionais ou nacionais, como apontam relatórios da Federação Nacional dos Jornalistas – FENAJ.

 

Busca