Publicidade

Governo do Maranhão deixa compra de lagosta pra depois

Sabe aquela “licitação das lagostas”? Foi cancelada. Depois de receber duras críticas, o governo Roseana Sarney resolveu deixar pra depois que a poeira baixar adiar o processo de licitação dos alimentos que iriam abastecer as casas oficias durante o ano de 2014. A Comissão Central de Licitação informou que o adiamento se dá por “questões administrativas”.

Leia aqui: em meio ao caos nos presídios, Roseana Sarney licita 80 kg de lagosta

Na verdade, o assunto causou polêmica pelos ítens, pelo preço e por ser divulgado durante a crise de segurança que atinge o Maranhão. Se não tivesse sido denunciado na imprensa, com certeza o banquete de luxo do Palácio dos Leões já estaria sendo garantido.

Veja abaixo alguns dos ítens que seriam licitados numa previsão de gastos superiores a R$ 1 milhão para abastecer a dispensa de “D. Rose”:

80 quilos de lagosta fresca, ao custo de R$ 6.373,60

2,5 toneladas camarões frescos, mais de R$ 100 mil

950 kg de sorvete (oito sabores), perto de R$ 55 mil.

Filé de pescada amarela (fresca), uns R$ 40 mil (750kg junto com o item abaixo)

Patinha de caranguejo (fresca), mais R$ 39,5 mil

180 kg de salmão (fresco e defumado), a R$ 9.700

850 kg de filé mignon limpo, a R$ 29 mil

Galinhas abatidas frescas, quase R$ 22 mil

50 caixas de bombom; 30 pacotes de biscoito champanhe; 120 kg de bacalhau do Porto (“de primeira qualidade”); mais de cinco toneladas de carne bovina e suína; e R$ 108 mil em ração para peixe.

O edital também previa a compra de 2.500 garrafas de 1 litro de “refrigerante rosado” com “água gaseificada, açúcar e extrato de guaraná”. Descrição sob medida para a compra do guaraná Jesus, bebida famosa do Maranhão.

 

 

 

 

 

 

Busca