Publicidade

Flávio Dino e o papo com os leões do Palácio

Até as eleições de 2014, havia um mito de que nenhum candidato conseguia vencer as eleições “sem a força dos Leões”, numa referência ao apoio do governo do estado, representado pelo Palácio dos Leões, sede do executivo estadual. Mesmo quando o grupo Sarney perdeu as eleições em 2006, foi porque estava fora do governo, ou seja, perdeu para os Leões. Naquele ano, José Reinaldo Tavares, rompido com Sarney, era o governador e apoiara o pedetista Jackson Lago.

O mito foi derrubado com a vitória de Flávio Dino (PCdoB). Os leões do Palácio dos Leões “caíram”. Acostumados a se alimentar da carne do povo, os leões agora rugem sem a mesma força de antes.

No discurso de posse, o governador Flávio Dino fez uma analogia sobre a força dos leões:

“Este dia inaugura um novo momento para estes leões, que a partir de hoje não representarão a força de nenhuma oligarquia, mas sim, a força do povo maranhense”.

“Quero informar ao leão da direita e ao leão da esquerda que vocês perderam as eleições. E mais: vocês continuarão se alimentando, mas não com o dinheiro do povo. (…) Vocês nunca mais vão rugir para o povo. (…) Vocês estão despidos dos brasões da oligarquia. Queridos Leões, bem vindos à democracia”.

“Meu mandato estará em acordo com o que a Constituição permite e com a escolha do povo. (…) Está inaugurada a República no Maranhão”.

 

 

 

Busca