Publicidade

Fábio Macedo: dos discursos mornos a um embate de verdade na Assembleia

Marinheiro de primeira viagem no Parlamento Estadual, o deputado Fábio Macedo (PDT), poucas vezes subiu à tribuna em 3 meses de mandato. Dá pra contar nos dedos das mãos os discursos proferidos. O primeiro, então, no dia 05 de fevereiro, não durou nem 2 minutos. Já no dia 26 de fevereiro, pela segunda vez na tribuna, o discurso durou 2 minutos e 20 segundos.

Em março, foram apenas 2 pronunciamentos, um com duração de 1 minuto e meio, no dia 03, e outro de 1:45, no dia 09. Em abril, uma fala de 2:37, no dia 09 e outra de 1:20, no dia 13, completavam o total de 11 minutos e 22 segundos de oratória numa casa parlamentar, palavra que em sua origem diz respeito àquele que fala.

Em todos os seus pronunciamentos, o deputado Fábio Macedo não tratou de nenhum assunto polêmico ou que permitisse algum embate, daqueles bonitos (ou não) de se ver entre parlamentares. Mas, tudo bem. Merece um desconto. Marinheiro de primeira viagem, lembram? Talvez tenha sido até melhor assim. Quem não sabe o que falar, é melhor que cale.

Entretanto, na sessão desta segunda-feira (27), Fábio Macedo surpreendeu. Subiu por duas vezes à tribuna, foi o protagonista de uma grave denúncia contra a filha de Ricardo Murad, e deixou de lado seus discursos mornos e sem graça para, finalmente, agir como um verdadeiro parlamentar. Em apenas uma de suas participações, Macedo ficou na tribuna por tempo equivalente a todos os discursos anteriores, 11 minutos e 23 segundos. Na outra, permaneceu na tribuna por mais de 16 minutos.

Inicialmente, começou lendo o discurso, visivelmente nervoso. Do meio para o final, começou a sentir-se mais à vontade, deixou de lado o papel, que segurava com as mãos trêmulas, e tomou atitude. Na segunda vez que ocupou a tribuna, estava notadamente mais seguro e não fugiu do embate com a Deputada Andrea Murad.

Fábio Macedo está bem longe de ser um exímio orador, mas precisa ter mais momentos como esse se quiser se credenciar como parlamentar. Depois desse “gostinho”, já deve ter percebido que oratória não é lá um bicho de sete cabeças. Um pouco de treino e cuidado com o vocabulário devem lhe garantir mais segurança. Mas, é preciso, principalmente, conteúdo e capacidade argumentativa para travar as batalhas que deseja lutar. Hashtag fica a dica.

 

 

Busca