Publicidade

Enfim, civilidade

Passado o momento da espinhosa disputa entre os dois principais candidatos ao posto máximo do estado, os “palanques” desmontaram-se imediatamente. Eleito governador com ampla maioria dos votos, Flávio Dino (PC do B), após a vitória, comportou-se como um verdadeiro estadista. Com discurso sereno, positivo e emocionado na coletiva de imprensa, sequer fez menção aos ataques sofridos durante a campanha, nem desdenhou do adversário.

Por outro lado, Edinho Lobão (PMDB) deu um exemplo de civilidade e grandeza ao reconhecer a vitória incontestável do comunista. Desejou à ele sorte, que cumpra os compromissos de campanha e se colocou à disposição do estado do Maranhão. Afirmou que saiu da campanha maior do que entrou, tanto como político quanto como pessoa. Tivesse dado menos ouvido a gente como Ricardo Murad, talvez saísse maior ainda.

Outras guerras devem ser travadas daqui em diante, mas longe do “palanque eleitoral”. O pemedebista e o comunista devem travar algumas lutas na justiça ao levar adiante denúncias e queixas do período de campanha. Mas isso é outra história.

 

Busca