Publicidade

Deputado solicita à Petrobras detalhes sobre pagamentos da obra da refinaria em Bacabeira

Othelino Neto fez questão de deixar claro que a oposição deseja sim que a refinaria se instale no Maranhão e é contra apenas o uso eleitoreiro da obra

O deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) encaminhou, nesta terça-feira (13), à presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, um ofício, solicitando informações detalhadas sobre os pagamentos que foram feitos relativos à primeira etapa da obra da refinaria Premium, em Bacabeira, que consumiu cerca de 1,6 bilhão. A oposição quer saber quem foram os beneficiados dos vultosos recursos e entender melhor como aconteceram os aditivos.

“Esses pagamentos não serviram de absolutamente nada para o Maranhão a não ser para criar na população o desalento de ver tantos milhões jogados fora. O que foi feito desse dinheiro público que foi gasto na primeira fase da refinaria? Se o TCU (Tribunal de Contas da União) já questiona os pagamentos e os aditivos, quais são os interesses envolvidos neste assunto?”, indagou o deputado do PCdoB que encaminhou o ofício com base na Constituição Federal e na Lei de Acesso à Informação.

A oposição quer saber quem foram os beneficiados por pagamentos milionários que acabaram gerando só de prejuízo para a Petrobrás R$ 85 milhões. O deputado do PCdoB lembrou que esse assunto já está fugindo ao controle de quem criou o factoide e será pauta também, provavelmente, da CPI da Petrobras.

Othelino Neto fez questão de deixar claro que a oposição deseja sim que a refinaria se instale no Maranhão. Segundo ele, os deputados do bloco protestam é contra a utilização, com fins eleitoreiros, de uma obra desta importância e, principalmente, pelo fato de, após passados quatro anos do lançamento com toda a pompa, ela ainda esteja apenas na fase de terraplanagem. “Entendemos que a obra será muito útil para o desenvolvimento do Maranhão”, frisou o parlamentar.

O deputado disse estar confiante que a presidente da Petrobrás, Graça Foster, irá responder e cumprir a legislação ao contrário do governo do Maranhão que desrespeita a Lei de Acesso à Informação. “Queremos ter mais informações e saber em que mãos foram parar esses mais de um bilhão de reais que já foram gastos na refinaria que, por enquanto, não saiu do papel”, finalizou Othelino Neto.

 

Busca