Publicidade

Deputado Marcos Caldas não quer a CPI dos combustíveis

É bom que a sociedade saiba que interesses defendem os seus representantes. Diante de um possível cartel formado por revendedores de combustíveis de São Luís, o deputado Othelino Neto (PC do B) propôs a instalação de uma CPI para investigar o que seria a prática de um crime contra a economia. Lembre aqui e aqui.

A Comissão Parlamentar de Inquérito deve ser instalada logo na semana que vem e vai trabalhar em parceria com o Ministério Público e a promotora de defesa do consumidor, Lítia Cavalcante. Mas, se dependesse do deputado Marcos Caldas (PRP), os empresários do ramo de combustíveis poderia continuar ferrando o consumidor ludovicense.

Marcos Play, como é conhecido, saiu em defesa dos donos de postos na Assembleia, sem cerimônia. Ou seja, ele está do lado dos empresários. E o povo… Bem, Marquinhos Play lá sabe o que é povo. Acostumado a ter dinheiro no bolso, Play não tem problema em pagar mais de R$ 3,00 no litro de gasolina. Aiás, até empresário do ramo ele já foi.

Agora, caro leitor, durma com as palavras do deputado que saiu-se assim na tribuna da “casa do povo”. Veja a quem ele defende. O consumidor? Não.

Deputado Play

“O posto do qual eu fui sócio quebrou. O posto do Fernando Sarney, lá na Holandeses, também quebrou. Conheço o estrago que uma CPI pode fazer a uma empresa, e não queremos aqui quebrar mais postos, desempregar mais pessoas (…) Eu não assinei essa CPI e não assinaria”.

 

 

Busca