Publicidade

Cresce número de homicídios elucidados no Maranhão em 2015

45614561

Um acordo de cooperação feito, este ano, entre o governo do Estado e o Governo Federal, para manter uma equipe de policiais da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP), já resultou na redução em 25% de inquéritos abertos entre da 2010 e 2013 na Delegacia de Homicídios (DH) de São Luís.

O saldo positivo faz parte de uma determinação do governador Flávio Dino para agilizar a conclusão de inquéritos referentes ao quatriênio 2010-2013 da Delegacia de Homicídios da capital. O acordo entre o Estado e a União possibilitou o envio de dez policiais da FNSP, enviados pela Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp), órgão do Ministério da Justiça, que já elucidaram, em 60 dias, cerca de 30 dos 120 casos de homicídios registrados até o dia 31 de dezembro de 2013.

Casos elucidados
Com o apoio dado pela equipe da Força Nacional de Segurança Pública (FNSP), a Delegacia de Homicídios (DH) pôde se debruçar com mais cautela e afinco sobre os casos de grande repercussão, considerados mais “recentes”, em todo o estado.

Entre os vários inquéritos já concluídos, em 2015, pela Polícia Civil do Maranhão, estão aquele que apurou o assassinato do fiscal da Secretaria da Fazenda do Maranhão, José de Jesus Gomes Saraiva, de 66 anos. Ele foi morto a tiros, em novembro do ano passado, próximo ao ponto final de ônibus da Vila Maracujá (zona rural), crime que, segundo as investigações, teve relação com a fiscalização de uma carga de arroz, avaliada em R$ 100 mil.

Outros dois casos repercutiram e já foram elucidados pela polícia judiciária maranhense. Um deles foi o inquérito que apurou o assassinato do médico e diretor do Hospital Estadual do Câncer do Maranhão (antigo Hospital Geral), Luiz Alfredo Netto, de 48 anos, morto também no mesmo mês, dentro de sua residência, no bairro Jardim Eldorado, durante um assalto.

Este ano, o crime contra a vida que mais intrigou foi o do holandês Ronald François Wolbeek, de 60 anos. Ele foi morto, em fevereiro, com um tiro no peito, dentro de um veleiro, na Baía de São Marcos, após uma tentativa de assalto. No fim deste mês, a Delegacia de Homicídios deve divulgar um balanço com os casos elucidados no primeiro semestre.

 

Busca