Publicidade

Cadê a união no Sindeducação? Professores reclamam da atual gestão e criticam baile de carnaval.

Elisabeth Castelo Branco, debaixo de críticas

A presidente do Sindicato dos Profissionais do Ensino Público de São Luís (Sindeducação), Elisabeth Castelo Branco, resolveu fazer um baile de carnaval. Segundo o anúncio, a festa, que cobra o valor de R$ 15,00 reais por abadá, tem a nobre motivação de celebrar “a nossa força e união”. Mas, parece que o sindicato não está tão unido assim.

Anúncio do baile na internet

Por meio das redes sociais, muitos professores se manifestaram contra a iniciativa. A categoria tem criticado a realização do evento. Uma professora escreveu que “(há) tantos problemas sociais e o nosso sindicato vai brincar no Carnaval. Pão e circo”.

Outro professor ameaçou se desligar do Sindeducação sugerindo que o sindicato não tem moral para cobrar nenhum órgão público. “Como o sindicato pode cobrar dos órgãos públicos se a sua prática é pior? Vou me desligar desse sindicato. Meu dinheiro não servirá para beneficiar interesses pessoais”, acusa.

A presidente do Sindeducação que agora promove festa de carnaval é a mesma que criticou quando mil crianças da rede municipal foram ao circo, no início do mês. Estudantes de 30 escolas municipais participaram dessa programação, que foi considerada maravilhosa pelas crianças e suas famílias. Elisabeth achou um absurdo e que tudo não passava de “pão e circo”.

Agora, ela resolve fazer uma festa de Carnaval e a própria categoria é quem repudia. E, já que alguns sugerem a falta de transparência e de não prestação de contas, parece que, no sindicato, o baile é de máscara.

 

 

 

Busca