Publicidade

Após declarações homofóbicas, Levy Fidelix é condenado a pagar R$ 1 milhão

Foto/Divulgação

Foto/Divulgação

A Justiça de São Paulo condenou na última sexta-feira (13), em primeira instância, Levy Fidelix (PRTB), candidato derrotado à Presidência nas eleições do ano passado, a pagar R$ 1 milhão pelas declarações contra a população LGBT em um debate na “TV Record”, em setembro de 2014. A ação foi movida pela Defensoria Pública do Estado de São Paulo.

Caso a decisão seja mantida Fidelix terá de pagar um total de R$ 1 milhão que será revertido para ações de promoção de igualdade para a comunidade GLBT. O ex-candidato terá ainda que produzir um programa com a mesma duração dos discursos, na mesma faixa de programação, que promova os direitos GLBT. A multa será de R$ 500.000 diários em caso de descumprimento da decisão.

O discurso                         

Levi Fidelix causou polêmica após afirmar que “aparelho excretor não reproduz” e relacionar a homossexualidade à pedofilia. O ex-candidato ainda declarou que os gays deveriam ser enfrentados.

O discurso aconteceu após uma pergunta da também ex-candidata Luciana Genro (Psol) sobre o índice de violência cometida contra gays no país. A fala de Levy causou mobilização imediata dos defensores dos direitos GLBT. O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, chegou a dar a Fidelix um prazo de 24 horas para que explicasse suas declarações.

Levy Fidelix informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que ainda não tem um posicionamento sobre a sentença. A defesa do ex-candidato à presidência da República informou que não recebeu nenhuma intimação e que não conhece o teor da sentença.

Fonte: Agência Brasil

Busca