Publicidade

79 mil crianças serão imunizadas contra o sarampo em São Luis

Uma campanha emergencial de vacinação será desenvolvida pela Prefeitura de São Luis de maneira preventiva. Casos de sarampo foram confirmados nos estados do Ceará e Pernambuco e as autoridades de saúde da capital maranhense estão atentas para que nenhum caso ocorra por aqui.

As ações de imunização serão realizadas pela Secretaria Municipal de Saúde (Semus), em parceria com a Vigilância Sanitária estadual. A disponibilização de 79 mil doses para serem aplicadas em crianças de 6 meses até os cinco anos está assegurada.

O sarampo era considerada uma doença erradicada no país, mas 61 casos já foram registrados no estado do Ceará e quatro em Pernambuco. Como não há registro de nenhum caso em São Luís, o trabalho de vacinação visa prevenir e evitar a chegada da doença no estado. A previsão é que a vacinação se inicie no dia 24 de fevereiro e se estenda até 14 de março.

A secretária de saúde de São Luis, Helena Duailibe, diz que não há perigo de epidemia, uma vez que o sarampo é considerado controlado no Maranhão, diante dos números de doses aplicadas anualmente. Fora o fato de que uma ampla campanha está pronta para prevenir qualquer incidência da doença na capital.

É preciso também intensificar as ações de imunização de rotina conforme o Calendário Nacional de Vacinação. A recomendação do Ministério da Saúde é de uma dose da vacina tríplice viral aos 12 meses de idade e um dose da tetraviral aos 15 meses de idade, para combater o sarampo, a caxumba, a rubéola e a varicela.

O sarampo

Doença de elevada transmissibilidade, pode atingir crianças e adultos. A transmissão se dá de uma pessoa para a outra, por meio de secreções expelidas ao tossir, ao espirrar, ao falar ou respirar. O vírus pode ser transmitido de quatro a seis dias antes, ou até quatro dias após o aparecimento dos sintomas, sendo o período de maior transmissibilidade, dois dias antes e, dois dias após o início da doença.

 

Busca