Publicidade

15 poços serão perfurados em ação emergencial para melhoria de abastecimento de água em São Luís

Estado realiza ação emergencial para melhoria do abastecimento de água na região metropolitana

O governo do Estado perfurará um total de 15 poços como ação emergencial para melhoria do abastecimento de água na região metropolitana de São Luís, revertendo um problema crônico que prejudica os maranhenses há décadas. Os trabalhos estão sendo realizados pela Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema), que já iniciou a perfuração de seis poços na região central, a partir de parceria com a Prefeitura de São Luís.

Outros nove poços serão perfurados para beneficiar os bairros Cohab, Cohatrac e áreas adjacentes. Esses poços serão perfurados no Sistema Paciência, sendo que em três deles o trabalho será desenvolvido diretamente pela Caema. As obras para a perfuração dos poços tubulares estão previstas para começarem até o fim deste mês, com o objetivo de incrementar a rede de distribuição de água já existente nos respectivos bairros.

No Bairro de Fátima, a obra está em andamento na praça ao lado da Igreja Matriz. O diretor-presidente da Caema, Davi Telles, explica que a perfuração dos poços foi a melhor solução para regularizar o abastecimento em áreas do sistema Sacavém/Batatã, em São Luís.

Além do Bairro de Fátima e Parque do Bom Menino, o projeto contempla mais quatro poços: no Monte Castelo, ao lado da Igreja e Santuário de Nossa Senhora da Conceição; outro no Centro, na Praça da Misericórdia; um na Vila Passos, na Praça Catulo da Paixão Cearense; e mais um no Outeiro da Cruz, na área do reservatório da Caema.

“Por determinação do governador Flávio Dino, estamos investindo R$ 1,85 milhão nesse projeto. Ao todo nove poços irão entrar em operação até o mês de junho. A medida não é definitiva, mas vai atenuar, e muito, os transtornos que já se tornaram históricos em nossa cidade, uma vez que são poços padrão Caema e possuem uma vazão bem expressiva”, afirma Davi Telles.

O diretor-presidente da Caema ressaltou também que a Prefeitura de São Luís, por meio da Secretaria Municipal de Urbanismo e Habitação (Semurh), teve um importante papel na execução desse projeto, uma vez que cinco das seis áreas utilizadas para a escavação na região central são de propriedade do município. Ele informou que em dois dias a Semurh liberou os termos de cessão de uso dos respectivos locais, por entender a urgência e importância do programa, dando agilidade na execução dos serviços.

Para reduzir o desperdício de água, Davi Telles, constituiu uma comissão para elaborar um plano de combate a perdas. Conforme estudos recentes, cerca de 60% da água produzida nos sistemas da Caema é desperdiçada, o que tem reflexos no abastecimento. Dentro do programa de combate a perdas está prevista a troca de tubulações antigas.

 

 

Busca