Blog do John Cutrim – Vice-presidente da Câmara, Waldir Maranhão (PP-MA) não traiu à toa o ex-aliado e presidente da Casa, Eduardo Cunha.

Depois de conversar com Lula no hotel Royal Tulip, em Brasília, onde o ex-presidente montou um espécie de QG anti-impeachment, Waldir Maranhão foi levado pelo governador Flávio Dino para uma conversa com a presidente Dilma. Na reunião, ficou acertado que Waldir ocuparia um ministério, caso votasse contra o impeachment. Até então Waldir, ao lado de Cunha, era um dos maiores defensores da saída da petista.

O certo é que Waldir não pensou duas vezes em aceitar a proposta. Pior se a presidente sofrer o impeachment neste domingo, pois além de já ter perdido o comando do PP no estado para o deputado André Fufuca, ficará também sem o ministério. Restará a Flávio Dino – mais uma vez terá que se sacrificar, coitado! – agraciar o deputado no governo.