Publicidade

Você já foi vítima de phubbing? Provavelmente sim.

O nome phubbing é resultado da união de duas palavras: phone+snubbing (telefone+esnobar), e, na prática, é quando alguém ignora sua presença, dando preferência ao smartphone. Um problema presente em escolas, restaurantes e uma infinidade de lugares públicos.

O seio familiar também não está livre do problema. Por falta de tempo e uma imensidão de atividades, as famílias tem interagido cada vez menos, pois todos 'tem a necessidade' de usar celular. Seja para resolver alguma pendência do trabalho, ou para saber a última fofoca, ou jogar um novo game, ou acompanhar as promoções, enfim, navegar no mundo fantástico da internet e das mídias/redes sociais.

Por causa desse novo hábito mundial, a Macquarie Dictionary criou o site Stop Phubbing, uma página que fornece dados estatísticos, convida à reflexão e tenta conscientizar as pessoas sobre esta nova tendência. Observe alguns dados interessantes:

• 87% dos adolescentes preferem conversar via texto do que face a face

• 97% das pessoas afirmam que o sabor da comida é pior quando são vitimas de phubbing durante as refeições

• Em um restaurante é possível ver 36 casos de phubbing, o que equivale à 570 dias vivendo sozinho

• Se o phubbing fosse uma praga mundial, dizimaria o equivalente a seis Chinas

Outro levantamento aponta o que os phubbers fazem ao telefone:

• Atualizam o status

• Falam com alguém mais importante que você

• Baixam músicas

• Jogam

• “Trollam” com alguém, sem incluir você

O site ainda convida a participar ativamente contra esta situação, através de cartazes para restaurantes, cartas de intervenção aos amigos e questionários.

O problema do phubbing é que muitos têm dado preferência a interações virtuais e, em consequência, algumas pessoas sentem-se sós, mesmo em meio à multidão. E as relações virtuais não criam verdadeiros laços de amizade, onde é possível conhecer as pessoas por seu tom de voz ou pelo olhar. As pessoas são conhecidas apenas por suas postagens, o que, na verdade, são meros fragmentos do que pensam ou sentem realmente.

O vídeo abaixo demonstra claramente a prática do phubbing:

 

O uso do celular nos trouxe a possibilidade de estarmos disponíveis a qualquer hora para os nossos contatos telefônicos, mas foi a internet com sua possibilidade de acesso ao mundo que nos fez abertos para uma infinidade de contatos e interações sociais. Isso é ruim? De maneira alguma, desde que, como tudo na vida, possamos usar com moderação. Afinal, tudo que é demais faz mal, até coisas boas como exercício físico, sono, estudo, dentre outros. Portanto, valorize mais as pessoas de suas redes sociais presenciais, pois as relações virtuais nem sempre são tão reais quanto aparentam.

 

 

Busca