Publicidade

Timbira AM comemora 77 anos de fundação, mas chegou a ser extinta no governo Roseana

 

Primeiro veículo radiofônico do Maranhão, a Rádio Timbira AM 1290 kHz comemora nesta quarta-feira (15), 77 anos de fundação. Mas por pouco essa data não poderia ser celebrada.

É que no ano de 1995, durante o primeiro governo Roseana Sarney (PMDB), a filha do oligarca José Sarney resolveu extinguir a emissora, alegando que os prejuízos eram maiores que as receitas. Dono de um império midiático que inclui o Sistema Mirante, Roseana menosprezou a importância histórica da rádio, que foi sucateada durante sua administração.

Apesar do golpe da ex-governadora, como a rádio provinha de concessão federal, as transmissões foram mantidas pelo empenho de voluntários.

Em 2006, no governo Jackson Lago, a rádio começou a passar por reestruturação. Mas só em 2017, já no governo Flávio Dino (PCdoB), entrou em vigor um amplo processo de revitalização e modernização da rádio. O jornalista e radialista Robson Paz assume a direção geral do veículo, e a rádio foi rebatizada de “Nova 1290”.

Novo ataque

Em 2018 houve nova tentativa do grupo Sarney de censurar a Timbira para tirar a emissora do ar pela via judicial. A manobra, no entanto, não deu certo e causou revolta de blogueiros, radialistas e ativistas digitais de todo o país.

Hoje a rádio Timbira AM se consolida como veículo de caráter público, patrimônio do povo maranhense e símbolo do esforço coletivo por uma comunicação mais democrática no estado.

Busca