Publicidade

Temer admite que votação da Reforma da Previdência pode ficar para fevereiro

Resultado de imagem para michel temer

Abrir os cofres públicos em busca de aliados talvez não seja suficiente desta vez para que o presidente Michel Temer, viabilize a aprovação da polêmica Reforma da Previdência na Câmara. Submerso em uma constante crise política o presidente usa a verba pública em busca de parlamentares para conseguir apoio. Tal tática ajudou Temer, por exemplo, a escapar das investigações de que teria tentado estancar a Lava Jato.

Porém, é cada vez mais difícil para o chefe do Executivo Federal conseguir os 308 votos necessários para a aprovação do projeto. Em almoço oferecido ao presidente da Macedônia Gjorge Ivanov, Temer confirmou que a discussão sobre o texto começará nesta quinta-feira, 14, na Câmara dos Deputados. Segundo ele, o governo vai avaliar até segunda-feira, 18, se tem a quantidade mínima de votos necessários para aprovar a proposta. Caso contrário, as discussões serão encerradas na Câmara e a votação ficará para fevereiro de 2018. “Em outro cenário”, afirmou.

A dificuldade de dar andamento ao projeto é motivado principalmente pelo fato do projeto modificar pontos polêmicos como a idade de aposentadoria para a população.

Já para Temer, a reforma da previdência vai ajudar as contas dos Estados e municípios e ressaltou que “várias associações, dos mais diversos setores” estão apoiando a reforma e que ela tem que ser feita “já”.

Com informações de o Estadão.***

Busca