Publicidade

Superintendente da PF no Maranhão pediu à Justiça a prisão de Ricardo Murad

Ricardo-Murad1

Ricardo Murad é encaminhado à sede da PF para prestar depoimento.

Os indícios da participação do ex-secretário Ricardo Murad no esquema que desviou pelo menos R$ 1,2 bilhões dos recursos enviado pelo Fundo Nacional da Saúde ao Maranhão foram tão evidentes, que o superintendente da Polícia Federal no Maranhão, Alexandre Saraiva, chegou a pedir à Justiça a prisão preventiva do cunhado da ex-governadora Roseana Sarney.

A declaração foi dada pelo próprio superintendente durante coletiva realizada pela Policia Federal, Controladoria Geral da União (CGU) e Ministério Público Federal (MPF), na última terça-feira (18), sobre o balanço da Operação Sermão aos Peixes.

O pedido, mesmo tendo parecer favorável do MPF, foi negado pela Justiça. Ainda assim, Ricardo Murad foi conduzido à sede da PF em São Luís, onde por mais de quinze horas prestou depoimento.

Alexandre Saraiva afirmou ainda durante a coletiva que uma equipe da PF encontrou vestígios de uma fogueira recente com vários documentos, que seriam de interesse da investigação, na casa de Ricardo Murad, e, detectou, que houve transferência de documentos entre casas diferentes ligadas ao ex-secretário.

Busca