Publicidade

Sarneyzistas pensam que todos são como eles

O grupo que perdeu o poder no Maranhão sempre teve praticas nada republicanas. Acostumados a beneficiarem-se do povo e do dinheiro do povo para manter seu luxo e ostentação, não conseguem vislumbrar uma realidade diferente na política e no trato com a coisa pública. Por isso mesmo medem os outros com sua própria régua e buscam incutir nos outros aquilo que praticam ou praticaram a vida toda. Para eles, não é possível ser diferente.

Em mais uma tentativa de mostrar que “eles são iguais a nós”, divulgaram com um prazer 'orgásmico' uma licitação do governo do estado para a compra de sorvetes, picolés, iogurte, filé mignom, bacalhau do porto, camarão, patinhas de caranguejo e outros mais para o abastecimento das despensas do Palácio dos Leões em 2015. Bem, se é para 2015, a 'culpa' é de Flávio Dino. Se é do novo governador, ele é igual aos outros. É isso? As viúvas do sarneyzismo, os famosos “bocas-pretas” deram com a cara na parede, de novo.

Na pressa de tentar criar caso para o novo governo, formado por quem sempre criticou o luxo exagerado dos governantes, os corvos esqueceram de verificar um pequeno detalhe: a licitação foi realizada na gestão da ex-governadora Roseana Sarney ainda no ano passado.

Pra colocar mais um balde de água fria nos “bocas”, a compra não será homologada nos termos propostos pelo governo passado. É o que diz o novo governo através de Nota divulgada pela Secretaria de Comunicação do Estado.

Confira:

 

Acerca de licitação para abastecer a dispensa do Palácio dos Leões, a Secretaria de Estado da Comunicação esclarece que:

1. Todo o processo licitatório, desde a escolha dos itens constantes do edital, foi realizado pela ex-governadora Roseana Sarney;

2. O edital foi publicado no dia 13 de novembro e a licitação na modalidade pregão ocorreu no dia 2 de dezembro, portanto, ainda na gestão anterior, que adjudicou o resultado do certame;

3. O processo encontra-se na Casa Civil para homologação, o que não ocorrerá nos termos propostos pelo governo passado;

4. Por fim, esclarecemos que durante a gestão do governador Flávio Dino nenhum quilo de farinha d’água foi consumido no Palácio dos Leões pagos com recursos públicos, muito menos bacalhau e salmão

 

 

Busca