Publicidade

Record e Globo – Farinha do mesmo saco

By Jeisael Marx

Esquenta a briga entre a Vênus Platinada e a TV do Bispo, de maneira jamais imaginada por nós meros expectadores da mídia televisiva brasileira. Como em toda confusão cada um, à sua maneira, acha argumentos para se defender e/ou para atacar. São verdades e mentiras, meias-verdades e distorções.
Em meio ao fogo cruzado, pobres mortais – alienados ou não – defensores tanto de um lado quanto do outro.
Por um lado, gente iludida, cega por uma religião, capaz de dar tudo o que tem e o que não tem por força da lábia de pastores-estelionatários que apregoam prosperidade em abundância bastando que o pobre fiel “doe” adiantado o que seria um percentual da “benção($) que há de vir”, no melhor estilo advance fee fraud dos grandes 171 do mundo. Como todo golpista, baseiam-se em um dos pilares do sucesso de um golpe: a ambição.

Do outro lado, brasileiros anarquizados pelo poder imperial da mídia globista (pra não usar global) que impôs durante muito tempo o seu querer e o seu modo de pensar através de suas novelas e de seus noticiários tedenciosos contaminando a política e a sociedade, exercendo, sem dúvida, um quarto poder. Carregando em sua história relações escusas e usando a força “terrorista” do seu império de comunicação para constranger, eleger e derrubar poíticos.

Quem ousaria desafiar a Toda Poderosa?

A Record e o Bispo dono da IURD estão debaixo de lenha por causa disso. Vejam bem, caros leitores. A Globo não está preocupada com os pobres incautos ludibriados pelo “Bispo e sua gangue”; a Globo tá preocupada é com o próprio umbigo, vendo o crescimento da Record ameaçar o seu longo reinado.

Os meios que a Record tem utilizado são discutíveis, principalmente do ponto de vista ético. Mais ainda quando imaginamos serem verdadeiras as acusações envolvendo a natureza do seu dinheiro. É. Mas a Globo também tira dinheiro nosso (nós contribuintes) em empréstimos ilegais.

Entretanto, se não fosse a Record por quanto tempo mais a Globo reinaria? Por esse prisma, podemos dizer “que bom que isso esteja acontecendo”. Mas não sou do tipo que pensa que os meios justificam os fins.

No final das contas o que teremos? A Record no lugar na Globo daqui a alguns anos? Estaremos substituindo 6 por meia dúzia, afinal tudo é pelo poder.

Globo e Record são farinha do mesmo saco. Edir Macedo e os Roberto Marinho são iguais. E os tolos da história somos nós, expectadores e mantenedores da riqueza ostensiva desses magnatas.

Vamos lá. Vejamos a Globo, contribuamos com dízimos e ofertas, paguemos nossos impostos, acreditemos no Domingo Espetacular, no Fantástico, no Jornal Nacional. Vamos nos vestir e falar como nas novelas. Doemos nossos carros e casas à Igreja, defendamos a Globo ou a Record. Quando eles quiserem que falemos ou nos manifestemos, sejamos o que sempre fomos: marionetes.

Busca