Publicidade

Recado ao leitor

Peço desculpas ao leitores pela queda na produção do blog nestes últimos dias. Um contexto diferente na vida pessoal tem me tomado bastante tempo, sobrando quase nada para acompanhar o desenrolar de fatos jornalísticos importantes na áreas mais abordadas neste espaço.

Em semana de provas na faculdade, estou cheio de trabalhos a produzir, assuntos a estudar, livros a ler, filmes a assistir. Além disso, tenho que me desdobrar em dois na minha pequena empresa, pois o meu braço direito, sócia de minha vida e dos meus negócios enfrentou o bisturi e repousa em casa. Tenho que ser também pai e mãe por pelo menos uns 15 dias.

E se o tempo não pára, e se o relógio não tem mais que 24h, temos de dar prioridade ao que é mais importante. Preciso dar atenção e cuidar da família. Portanto, espero a compreensão dos amigos leitores, e deixo uma reflexão abaixo:

PEDRAS GRANDES

Um palestrante, especialista em gestão do tempo, iniciou sua conferência tirando de baixo da mesa um frasco grande de boca larga. Colocou-o sobre a mesa, junto a uma bandeja de pedras grandes e perguntou:

– Quantas pedras pensam que cabem nesse frasco?

Depois de várias conjecturas da platéia, ele começou a colocar as pedras até encher o frasco, e perguntou:

– Está cheio?

Todos olharam pro frasco e assentiram que sim. Então ele tirou debaixo da mesa um saco com pedrinhas pequenas, derramou parte dele dentro do frasco e agitou-o. As pedrinhas então penetraram pelos espaços entre as pedras grandes.

O consultor sorriu e repetiu a pergunta:

– Está cheio?

Desta vez os ouvintes duvidaram e preferiram não responder.

Em seguida ele tirou um saco com areia debaixo da mesa e começou a despejá-lo no frasco. A areia infiltrou através dos pequenos espaços deixados pelas pedras grandes e pequenas.

– E agora, está cheio? – perguntou novamente o palestrante.

Nenhuma resposta! Então o palestrante pegou uma jarra de água e começou a derramá-la sobre o frasco, enchendo-o até a boca.

– Bem, o que acabamos de demonstrar aqui? – perguntou.

Um ouvinte então respondeu:

– Que não importa quão cheia está a nossa agenda, se quisermos, sempre conseguiremos fazer com que caiba mais coisas ainda.

– Não! – concluiu o especialista – O que esta lição nos ensina é que se colocarmos as PEDRAS GRANDES primeiro, o resto encontrará o seu lugar!

Administrar nosso tempo é sinônimo de administrar nossa vida. O tempo é o recurso mais democrático do planeta. Nem todos têm dinheiro, comida, água ou saúde, mas todos têm a mesma quantidade de tempo para fazer dele aquilo que mais lhe convier. E ao contrário do dinheiro ou de qualquer outro bem material, não conseguimos “guardar” o tempo. Se não o usarmos com sabedoria, o perderemos, e perder tempo significa ‘perder vida”.

Quais são as coisas mais importantes, as “grandes pedras” da sua vida? Quanto tempo você está dedicando àquilo que é realmente importante pra você? Há coisas que não podem ser revividas, como o tempo que passamos com a pessoa amada, a infância de nossos filhos, as viagens dos sonhos, os passeios com a família, o bate-papo, brincadeiras e risadas com os amigos, sua saúde, e um monte de outras coisas.

Lembre-se: Se colocarmos as PEDRAS GRANDES primeiro, o resto encontrará o seu lugar!

Busca