Publicidade

Raquel Dodge reforça denúncia contra Sarney, Renan e Jucá

Resultado de imagem para sarney

A procuradora geral da República, Raquel Dodge, quer mesmo demonstrar que não está no cargo por ser amiga de Michel Temer e José Sarney e tem tomado atitudes contra os peemedebistas. Agora, reforçou no Supremo Tribunal Federal (STF) a denúncia contra os senadores Renan Calheiros (PMDB-AL), Romero Jucá (PMDB-RR), Valdir Raupp (PMDB-RO) e Garibaldi Alves (PMDB-RN) e o ex-presidente José Sarney (PMDB), além de outras quatro pessoas.

A denúncia foi apresentada em agosto de 2017 pelo então procuradora-geral, Rodrigo Janot. Eles são acusados de participar de um esquema de desvio de recursos da Transpetro. Ela surgiu com os grampos feitos pelo ex-presidente da Transpetro, Sérgio Machado, que gravou Sarney, Jucá e Renan. Em uma das gravações, Jucá disse a célebre frase que era necessário tirar a Dilma para “estancar a sangria”, em um “grande acordo nacional com o Supremo, com tudo”.

O relator da denúncia é o ministro Edson Fachin, e a acusação será analisada pela Segunda Turma. Ainda não há data para isso acontecer.

“A denúncia deixa claro que os parlamentares denunciados integravam o núcleo político do grupo criminoso, responsável pela indicação e manutenção de José Sérgio de Oliveira Machado, no cargo de presidente da Transpetro, exatamente para obter recursos ilícitos em favor da agremiação partidária dos acusados, o Partido do Movimento Democrático Nacional, e de seus membros”, escreveu Dodge.

Busca