Publicidade

RÁDIO TIMBIRA – Da grandeza ao esquecimento ao renascimento

By Jeisael Marx

Recentemente, o rádio AM passa por um processo de abandono e desprezo que fez com que a maioria das rádios de Amplitude Modulada no Brasil fosse vendida ou arrendada para grupos evangélicos. Mais grave que isso, é saber que muitas emissoras estão simplesmente desaparecendo, saindo do ar.

A coisa não é tão grave no Maranhão, onde o Rádio AM mantém boa audiência e ainda não foi afetado majoritariamente pela igrejificação (se é que possa existir esse termo). Em São Luis, por exemplo, apenas uma das emissoras de AM existentes está arrendada a um grupo religioso. Menos mal.

Porém, uma emissora em especial – a Rádio Timbira do Maranhão, oficial do Estado – experimentou em sua história recente baixos índices de audiência e a falta de investimentos, que não seriam de grande custo para o Governo. Isso levou o primeiro veiculo radiofônico do Maranhão ao ostracismo e a decadência, diferente dos anos de ouro em que a Timbira cobria todo o Estado com uma programação que atendia aos gostos dos maranhenses em todos os níveis.

A história do Rádio no Maranhão passa inegavelmente pelos Kilohertz da Timbira e de um elenco de grandes profissionais que por ela passaram desde sua fundação em 1940, a exemplo de Ferreira Gullar, Lauro Leite, Ruy Dourado, Bernardo Almeida, Jairo Rodrigues, Edir Garcia, Alberto Farias, Jota Alves, Jámenes Calado, Canarinho, Mauro Campos, Djard Martins, Fernando Leite, Luís Vasconcelos, entre tantos outros que contribuíram de forma significativa pela excelência dos serviços prestados.

Muitas já foram as tentativas de resgatar o prestígio dos 1290 KHz da Timbira. Até agora, frustradas. E não interessa saber em que momento se iniciou a decadência da Emissora Oficial do Estado. O importante é trazer de volta ao prestígio nossa velha Timbira de guerra. Há que se ter a consciência de que são novos tempos e a Rádio tem de se adaptar a esses novos tempos. Mais do que reconquistar o espaço perdido, a Timbira precisa conquistar um novo espaço.

À frente da emissora agora está o Juracy Filho. Jovem, radialista, amante e entendedor de rádio, e, principalmente, cheio de garra e vontade de (re)fazer a Rádio, apesar das críticas que vem recebendo. Parece que agora sim.

A Rádio tá de casa nova, sendo finalmente remontada, uma verdadeira Fênix renascendo das cinzas. Os profissionais que trabalharão por lá terão estrutura para trabalhar, garante Jurinha.

A Timbira, que ainda está fora do ar, tem tudo pra voltar a ser A Grande Rádio Timbira do Maranhão. É aguardar pra ver, ou melhor, pra ouvir. Ou ver também. De repente uma webcam no estúdio transmitindo as imagens pela internet.

Como radialista e amante do rádio, fico torcendo.
Busca