Publicidade

Prefeito oferece 20 reais por cabeça para a população prestigiar o candidato de Roseana

Correndo contra o tempo para tentar se firmar como o candidato a governador do grupo Sarney, o secretário-candidato Luís Fernando tem dedicado todo o seu tempo em andanças pelo interior do estado fazendo campanha fora de época com a desculpa de assinar ordens de serviço.

Sem a menor cerimônia, o “Luís de Roseana Sarney e Jorge Murad” tem utilizado a máquina pública num flagrante desrespeito à democracia e às leis do país, usa e abusa da estrutura do estado para promover sua imagem pessoal a qualquer custo.

Com amplo material divulgado na imprensa dando conta do uso indevido de helicópteros do governo pagos com dinheiro do povo, “showmícios” e até pedido de voto, agora uma notícia divulgada no blog Marrapá dá conta de que na última terça-feira (18), na cidade de Timbiras, ofereceram até dinheiro para a população “prestigiar” o “lanterninha das pesquisas” de intenção de voto Luís Fernando. É o vale-tudo promovido sem nenhuma vergonha pelo grupo que se acha dono de tudo no Maranhão, inclusive da consciência das pessoas. Acham que podem tudo com todos e contra todos.

Ao lado do secretário de Articulação Política, Ricardo Archer, e dos prefeitos Fabrizio Araújo (Timbiras), Tereza Murad (Coroatá) e Padre Josias (Peritoró), o “sem voto” secretário de Infraestrutura do Estado esteve em Timbiras para o anúncio do asfaltamento de 3 km. Sim, senhoras e senhores, não são 30 km de asfalto, são apenas 3 km. Daqui há pouco, Luís vai inaugurar banco de praça.

Temendo que a visita de Luís Fernando repetisse o fracasso que têm sido suas visitas eleitoreiras às cidades do estado, o prefeito Fabrizio Araújo organizou uma recepção e chegou até a oferecer R$ 20 para cada morador disposto a comparecer no evento para fazer volume. Mesmo assim, o fiasco se repetiu, apenas alguns “gatos pingados” compareceram ao “grande evento da assinatura de ordem de serviço para o asfaltamento de 3 km”. O evento foi um “sucesso”, o secretário-candidato chegou mudo, assinou a tal ordem de cara amarrada e saiu calado.

Dizem as más línguas que, se de fato chegou a pagar pela presença da população, o prefeito deve ter tido um gasto máximo de R$ 400 reais. É só fazer as contas, 20 reais por cabeça multiplicado por 20 pessoas que compareceram, não é preciso ser um grande matemático pra ver que o prefeito economizou uma graninha. Já pensou o custo se “o lanterninha” fosse um espoca-urna?

Luís Fernando, o sucesso de público

 

 

Busca