Publicidade

População carcerária ultrapassa 8 mil detentos no Maranhão; 58,6% deles ainda não foram julgados

Resultado de imagem para detentos pedrinhas

Mesmo estando entre os dez estados com menor população carcerária do país, o Maranhão já possui 8.835 detentos de acordo com dados do Infopen, Sistema Integrado de Informações Penitenciárias, divulgados nesta sexta-feira 8 pelo Ministério da Justiça.

Desse total, 58,6% são considerados presos provisórios já que ainda não foram julgados. O pior caso era o do Ceará, onde dois em cada três presos eram provisórios. Quanto à capacidade, o Maranhão abriga hoje mais presos que possui vagas em presídios. O estado contava até junho do ano passado com 5.293 vagas.

Em relação a cor dos presidiários maranhenses, 84% é formada por negros e apenas 15% dos brancos. O estado é uma das federações com maior percentuais de negros e herda uma herança histórica de grande desigualdade entre brancos e negros.

Em nível nacional, a população carcerária do Brasil atingiu a marca de 726,7 mil presos, mais que o dobro de 2005, quando o estudo começou a ser realizado. Naquele ano, o Brasil tinha 361,4 mil presos, de acordo com o levantamento.

Esses 726 mil presos ocupam 368 mil vagas, média de dois presos por vaga. Do total da população encarcerada, 40% são presos provisórios, isto é, ainda sem julgamento, segundo o estudo, desenvolvido pelo Fórum Brasileiro de Segurança Pública em parceria com o Departamento Penitenciário Nacional (Depen).

A maior população prisional do país está em São Paulo, onde há 240.061 presos. O estado é seguido por Minas, com 68.354, e Paraná, com 51.700. A menor população carcerária está em Roraima, onde foram registrados 2.339 presos.

Busca