Publicidade

Policial que matou mulher diz ter agido em legítima defesa

Foto: Reprodução

De O Imparcial

Em entrevista coletiva ocorrida na tarde de hoje (27), a delegada Dra. Viviane Fontenelle, chefe do Departamento de Feminicídio da Superintendência de Homicídio e Proteção à Pessoa (SHPP), disse que é pouco provável que o policial militar Carlos Eduardo Nunes Pereira, que matou Bruna Lícia e o suposto amante dela na tarde do último sábado (25), tenha agido em legítima defesa.

Segundo a delegada, um colega de trabalho das duas vítimas, também estava no local do crime e disse, em depoimento, que viu o policial dar socos e chutes em Bruna Lícia, ouviu a amiga gritar “Para com isso. Para com isso Nunes!”, e, enquanto fugia do apartamento para pedir ajuda ouviu os tiros. O soldado confessou ter cometido o crime, mas disse que agiu em legítima defesa.

 

Leia mais

Busca