Publicidade

Policiais militares e bombeiros prometem cruzar os braços

Post atualizado às 22:57h

Inconformados com o governo do estado, policiais militares e bombeiros decidiram em assembleia na última quarta-feira (26) por uma operação tartaruga, batizada de “Operação Legal”. Leia aqui. Em conversa com vários policiais é possível sentir o grau de insatisfação não só em relação à remuneração salarial, mas, também às condições de trabalho: faltam equipamentos e armamentos, tecnologia, fardamento, faltam policiais.

Nesta sexta-feira (7), outdoors foram espalhados pela cidade convocando os militares para a assembleia geral da categoria que será realizada no próximo dia 13. Caso o governo Roseana Sarney não sinalize com um aumento real, haverá paralisação. Os militares reclamam do reajuste de apenas 7% concedido, em ano eleitoral, pela governadora Roseana Sarney à categoria.

Segundo os policiais, não se trata de aumento, mas de reposição salarial, pois refere-se a perdas salarias e não a aumento real de vencimentos. Segundo os policiais e bombeiros, “sempre que se concede um reajuste a servidores públicos, a categoria fica de fora, e o reajuste anunciado recentemente, de 7%, não é um aumento real, pois é referente ao acordo firmado em 2011”.

O governo dá de ombros a tudo isso e insiste em mentir em sua publicidade. “Um governo que só existe na propaganda”, esbravejou um Cabo PM que o blog prefere manter no anonimato. O militar revela, como exemplo, que, na ausência de um sistema de informações interligado e confiável, mantém seu próprio arquivo de fotos e dados sobre os bandidos.

Leia ainda:

Deputado chama atenção para descontrole na segurança e ameaça de greve de policiais

Soldados recém formados acusam governo de obrigá-los a trabalhar sem nomeação

É essa Polícia mal remunerada e sem apoio do estado que protege a sociedade no dia a dia – ou pelo menos tenta heroicamente. E é essa Polícia a primeira a ser criticada quando a insegurança bate à porta. Mas, também é essa Polícia que promete parar no dia 13. Fechem as janelas e tranquem as portas. Se a situação da segurança é preocupante com a Polícia trabalhando, imagine quando cruzar os braços.

Até o momento não há sinais de que a governadora esteja um pingo preocupada. O pensamento de Roseana Sarney está tão somente e em nenhuma outra questão mais senão no processo eleitoral deste ano. A preocupação da governadora é criar as condições ideias para eleger no golpe Luis Fernando e sair candidata ao Senado após abandonar o governo. E os policiais que se lasquem. E o povo que se lasque.

 

Busca