Publicidade

Polícia Civil apreende 300 quilos de maconha e prende quatro suspeitos

Foto 1_Nilson Figueiredo_SSP_08042016 - Policia Civil em menos de 24 horas prende suspeitos e apreende cerca de 300 kg de entorpecentes, avaliados em um milhão de reais

Em uma ação rápida, equipes da Superintendência Estadual de Repressão ao Narcotráfico (Senarc) apreenderam 300 quilos de maconha, que seriam distribuídas na capital. A apreensão é a maior deste ano e resulta de duas operações da Polícia Civil, realizadas nesta quinta (07) e sexta (08). Ainda na ação, a polícia apreendeu uma arma de fogo e prendeu quatro pessoas. “Em menos de 24 horas realizamos esta, que consideramos uma grande apreensão de maconha”, ressaltou o superintendente da Senarc, delegado Carlos Alessandro. As apreensões representam prejuízo de R$ 250 mil para o tráfico de drogas.

A denúncia dos carregamentos de maconha chegou à polícia por meio de denúncia anônima. “A partir destas informações começamos a monitorar para interceptar os grupos na chegada”, disse o superintendente. Na operação de quinta-feira, ocorrida no município de Grajaú, o Serviço de Inteligência da Senarc apreendeu 130 quilos de maconha e prendeu três pessoas.

Como consequência da operação de Grajaú foram detidos Antônio Carlos Nascimento Silva, 37 anos; Diego Alexandre da Silva, 35 anos; e a mulher dele, Maria Leite, 31 anos. Os três negaram envolvimento com o tráfico de drogas e alegaram desconhecer o teor da encomenda recebida. Com o trio foi apreendida ainda uma arma Taurus. Segundo a polícia, eles podem responder por tráfico de drogas e porte ilegal de arma de fogo.

Na segunda operação, 170 quilos da droga foram encontrados pela polícia guardados em caixas de papelão. O suspeito, identificado como Carlos do Espírito Santo, é de São Paulo e fazia viagens para cidades da Baixada Maranhense. Em sua defesa, ele alegou que recebeu a encomenda ainda na capital paulista com a orientação de entregar em Santa Inês. Porém, a carga foi flagrada pela polícia na BR-222, proximidades de Buriticupu. Ainda segundo o motorista, ele não sabia do que se tratava o pacote a ser transportado.

Segundo o superintendente, a maconha é a droga de maior saída no estado e a polícia vem reunindo esforços para impedir que estas quadrilhas avancem. “O foco das operações da Senarc tem sido justamente a interceptação das grandes quadrilhas e a prisão dos distribuidores para evitar que a droga chegue ao seu destino e minar a ação do tráfico”, reiterou o titular da Senarc.

Busca