Publicidade

PF indica que Adélio Bispo agiu sozinho em ataque a Bolsonaro

 

A Polícia Federal não identificou outros envolvidos, além de Adélio Bispo de Oliveira, no ataque a faca contra o presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) no dia 6 de setembro em um ato de campanha em Juiz de Fora (MG). O órgão informou que o inquérito que investiga o atentado deve ser concluído nesta semana.

Após ouvir mais de 30 pessoas, quebrar os sigilos financeiro, telefônico e telemático de Adélio, o delegado federal Rodrigo Morais e sua equipe não encontraram nenhum indício de que o autor da facada tenha agido a mando de outra pessoa ou grupo.

A PF também não encontrou nenhuma movimentação suspeita ao analisar as contas bancárias de Adélio. O único depósito em espécie, considerado anormal no período, era referente a um acerto trabalhista. O cartão de crédito internacional, encontrado na pensão onde ele se hospedou, nunca foi utilizado.

O órgão também confirmou que Adelio trabalhou em um açougue e como sushiman, o que indica perícia no manejo de facas. As investigações ainda confirmaram que o acusado estava em posse da arma meses antes do crime. (VEJA)

Busca