Publicidade

PF grava Ricardo Murad e Márcio treinando como escapar da mão pesada da lei

Blog do Waldemar Ter – A Operação Sermão aos Peixes já rendeu muita dor de cabeça e até xilindró ‘temporário’ para o ex-Tratorzão Ricardo Murad, mas pelos diálogos gravados pela PF que o blog teve acesso com exclusividade, o ex-secretário de Saúde no Governo Roseana Sarney agia no sentido de escapar da auditoria realizada pela Secretaria de Transparência e Controle do Estado.

Num verdadeiro papo entre criminosos, a PF gravou, por exemplo, uma ligação telefônica de José Márcio Leite, ex-secretário adjunto de Saúde e uma espécie de faz-tudo de Ricardo Murad, para o próprio chefão, que se encontrava em São Paulo, no ano passado antes da casa cair (Veja os diálogos).

Depoimento PF

São diálogos nada edificantes,  mas esclarecedores: Ricardo Murad ensina como fugir dos esclarecimentos que deveriam ser prestados, na vã tentativa de escapar das garras da Secretaria de Transparência e Controle.

O principal temor dos dois era referente ao pagamento em duplicidade de um contato de R$ 1,6 milhão, através de aditivos fajutos.

Sem perder a pose, Ricardo Murad disse que o secretário Rodrigo Lago estava “atirando a cego”, mas a PF terminou por conduzir o ex-tratorzão, que passou quase 20 horas prestando depoimento na PF, sem conseguir explicar o rombo de R$ 1,2 bilhão que deu nos cofres da Saúde e ser apontado como chefe da organização criminosa que atuava no setor através de Orcips.

Sobraram também ameaças para o secretário de Controle, da parte de Ricardo Murad, que diz na transcrição da gravação, que na volta de São Paulo iria responder “a esse ataque da Secretaria de Controle”.

Mais pé no chão, José Márcio tinha uma preocupação com a prescrição dos crimes: “Vem cá, Ricardo, essas coisas (crimes) não prescrevem com cinco anos?”, quis saber do chefão.

No final, José Márcio reserva uma momento de puxaquismo para o chefinho dele: “Você tá de cabeça quente, deixa tu voltar…”

Busca