Publicidade

Perseguição da prefeita de Coroatá, Teresa Murad, pode comprometer atendimento do Hospital Macrorregional da cidade

Em Coroatá, a prefeita Tereza Murad e o “prefeito” Ricardo Murad estão plantando dificuldades para prejudicar o funcionamento do Hospital Macrorregional da cidade. Logo ele que é ex-secretário de Saúde do estado e se diz o grande feitor do sistema em funcionamento no Maranhão.

Boletim de Ocorrência

Decisão tomada pela administração municipal coroataense controlada pela família Murad está comprometendo o descarte de dejetos recolhidos da casa de saúde pelo caminhão “limpa fossa”. O técnico administrativo do Hospital Macrorregional registrou boletim de ocorrência na delegacia de Coroatá relatando que a prefeitura proibiu o acesso do veículo ao aterro sanitário da cidade. Clique na imagem ao lado para ampliar.

O Fato também foi comunicado pelo diretor regional do hospital, Francisco Carvalho Brandão, ao Ministério Público Estadual, através do promotor de justiça Samarone Batalha, e ao juiz da 2ª vara da Comarca de Coroatá, Francisco Ferreira de Lima.

 

 

A proibição determinada pela administração de Teresa Murad e Ricardo Murad cheira a perseguição. A decisão, segundo conta a direção do hospital, está comprometendo o funcionamento e provocando colapso naquela casa de saúde que atende a população da região.

Indignado com atitude, Francisco Carvalho comunicou ao secretário de Meio Ambiente de Coroatá, Márcio Antonio, que a atitude da prefeitura fará com que o Hospital Macrorregional entre em colapso total e adverte que “estamos tratando de vidas humanas”.

 

 

 

Busca