Publicidade

“Pega ladrão”: Sarney “acusa” para justificar nome de Roseana na lista de Janot

Sabe a estratégia do ladrão que foge gritando “pega ladrão”? Assim age José Sarney em defesa de sua filha Roseana. A ex-governadora vem sendo citada desde sempre no maior esquema de corrupção dos últimos tempos no país, inclusive com membros do seu governo acusados de receber propinas até na sede do governo estadual.

Mas, o ex-tudo-na-política-do-Brasil quer atribuir a inclusão do nome de Roseana Sarney na “Lista de Janot” (aquela com os nomes do políticos citados na Operação Lava Jato da Polícia Federal) a uma “vingança“, que não poderia deixar de ser, é claro, uma “armação” envolvendo também o governador Flávio Dino.

Não. Não é piada. Loucura do velho Sarney? Talvez. Não se pode duvidar que os movimentos do oligarca sejam milimetricamente arquitetados. Desde que montou escritório em Brasília, o ex-senador opera nos bastidores para conspirar contra Dino e Dilma, e também para tentar livrar a cara de Roseana. Se puder juntar as duas coisas, melhor.

Sarney quer desviar o foco da filha. E pretende armar e atacar quem necessário for para alcançar seus intentos. Ao passo que acusa o procurador-geral da República, Rodrigo Janot, de agir politicamente, o pai de Roseana pretende expor ao máximo o seu “amigo” Edison Lobão, ex-ministro de Minas e Energia, acusado de chefiar um esquema envolvendo empreiteiras no setor elétrico. “Mui amigo”, hein.

José Sarney grita “pega ladrão” pra ver se dá tempo de Roseana Sarney “sair correndo”. Ele movimenta aliados políticos e alguns jornalistas da mídia do sudeste para tentar tirar a filha do foco ou o foco da filha. Resta saber se vai funcionar. Ou por quanto tempo.

 

 

Busca