Publicidade

Oligarquia Sarney perde mais uma e José Joaquim é eleito presidente do TJ

Cada vez mais encurralada, a oligarquia Sarney acaba de perder mais um reduto do seu decante poder: a Justiça. O plenário do Tribunal de Justiça do Maranhão (TJMA) elegeu na manhã desta quarta (04), o desembargador José Joaquim Figueiredo dos Anjos como presidente da Mesa Diretora do Judiciário maranhense para o biênio 2018/2019.

Joaquim disputou o cargo contra a também desembargadora Nelma Sarney, obtendo 16 votos, contra 10 de sua concorrente. Nelma foi convidada a assumir a vice-presidência, mas recusou. Em seu lugar, o desembargador Lourival de Jesus Serejo ocupará o cargo.

Nelma é casada com o irmão do ex-presidente José Sarney, que sempre buscou ter aliados na Justiça maranhense.

Na sessão, foi escolhido também o novo corregedor-geral da Justiça. Marcelo Carvalho se declarou candidato, e Paulo Velten, que disse ter sido anteriormente consultado por colegas para a possibilidade de concorrer, avisou que abriria mão da candidatura em favor de Carvalho. Os desembargadores Maria das Graças Duarte e José de Ribamar Castro aceitaram participar apenas para compor a lista. Marcelo Carvalho foi eleito com 23 votos.

Em sua primeira declaração como presidente, horas depois, Joaquim disse que não vai presidir com sentimento de vingança e que estará a serviço da população.

“Agradecer penhoradamente aos eminentes pares, não aos 16 votos presidente, mas aos 26. Eu irei presidir tenha a certeza presidente, aos meus pares e quem me ouve, sem nenhum vindita, sem nenhuma vingança […] A porta do meu gabinete serão abertas a sociedade para que tragam seus reclames e aqui possamos resolver no dia a dia”, afirmou.

Busca