Publicidade

Odebrecht afirma que caixa dois para José Serra foi pago em conta na Suíça, diz jornal

Odebrecht afirma que caixa dois para José Serra foi pago em conta na Suíça, diz jornal JUAN MABROMATA/AFP

A Odebrecht apontou à Lava-Jato que R$ 23 milhões foram repassados pela empreiteira via caixa dois para a campanha presidencial de José Serra na eleição de 2010, segundo o jornal Folha de S. Paulo. A empresa afirmou, conforme a publicação,  que o dinheiro foi transferido para uma conta na Suíça.

O acerto do pagamento, de acordo com a empresa, foi feito com o ex-deputado federal Ronaldo Cezar Coelho (ex-PSDB e hoje PSD), que integrava a coordenação da campanha de Serra. Ainda segundo a Odebrecht, o caixa dois também foi negociado com o ex-deputado federal Márcio Fortes (PSDB-RJ).

Segundo a Folha, os repasses foram citados por dois executivos da empreiteira em delações premiadas: Pedro Novis, presidente do conglomerado de 2002 a 2009 e atual membro do conselho administrativo da holding Odebrecht S.A., e Carlos Armando Paschoal, que atuava nas negociações de doações a campanhas eleitorais.

Ainda conforme o jornal, Novis e Serra são amigos de longa data. Por terem sido vizinhos, o tucano é chamado de “vizinho” em documentos da Odebrecht. O ministro também era identificado como “careca” em algumas ocasiões.

Procurado pelo jornal de São Paulo, Serra disse que “não vai se pronunciar sobre supostos vazamentos de supostas delações relativas a doações feitas ao partido em suas campanhas”. Já o empresário Ronaldo Cezar Coelho declarou que não comentará o assunto até ter acesso aos relatos feitos pelos executivos da empreiteira que citam o seu nome.

Márcio Fortes foi contatado pelo celular e pelo telefone de sua empresa, mas a Folha de S. Paulo não obteve retorno até a publicação da reportagem. Desde que a empresa passou a negociar acordos de colaboração premiada e leniência, deixou de se pronunciar sobre a Lava-Jato.

Busca