Publicidade

Maranhão lidera ocorrência de violações contra jornalistas e comunicadores no país em 2015

Enterro do blogueiro Roberto Lano, morto em novembro de 2015 no interior do Maranhão; caso tem relação com denúncias contra políticos, diz ONG.

Enterro do blogueiro Roberto Lano, morto em novembro de 2015 no interior do Maranhão; caso tem relação com denúncias contra políticos, diz ONG.

O Maranhão foi o estado do país onde jornalistas e comunicadores mais sofreram violação em decorrência da profissão que exerciam em 2015. É o que afirma o relatório Violações à Liberdade de Expressão, realizado pela ONG Artigo 19 e divulgado nesta terça-feira (3), data quem é comemorado o Dia Mundial da Liberdade de Imprensa.

De acordo com a pesquisa, somente no ano passado dois blogueiros foram assassinados no Estado: Ítalo Eduardo Dinis, que foi morto no dia 13 de novembro no município de Nunes Freire e Roberto Lano assassinado no dia 21 do mesmo mês em Buriticupu. Segundo o relatório ambos os crimes foram cometidos após os blogueiros denunciarem irregularidades na gestão pública local.

Além dos homicídios, outros quatro casos de violação ocorreram no Maranhão, o que coloca o estado como o mais perigoso do país para comunicadores.

No Brasil, foram registrados em 2015, 35 violações contra repórteres, jornalistas, radialistas e blogueiros. O número é bem superior ao registrado em 2014, quando 21 desses casos foram notificados e colocam o país entre os mais perigosos para a prática dessas atividades. O Nordeste é a região que concentra a maioria desses casos.

Os blogueiros foram os que mais sofreram com essas violações, representando 37% da ocorrências desses casos. Um dos motivos para esse aumento seria o crescimento no número de blogs em relação aos veículos tidos como tradicionais.

Ainda de acordo com o relatório, a maioria dos crimes cometidos a esses profissionais não foram solucionados ainda, o que cria um ambiente favorável para que cada vez mais casos como estes ocorram.

 

 

 

Busca