Publicidade

Maranhão já soma 924 novas vagas no sistema prisional

Foto3_ClaytonMonteles_040316-UPR-de-Pedreiras-340857-1024x576

Blog do John Cutrim – A resposta do Governo do Estado para a superlotação que se arrastou por décadas no sistema prisional do Maranhão, começou a ser dada há seis meses, e essa semana atingiu uma importante fase que comprova o compromisso firmado pela gestão. Com a conclusão da reforma e ampliação do presídio de Pedreiras-MA, o governo estadual já entregou mais da metade das 1.804 novas vagas anunciadas em janeiro de 2015.

“O cronograma de obras, proposto pelo governador Flávio Dino, logo no seu primeiro mês de mandato, já foi alcançado em pouco mais de 50%. A pretensão, inicial, era a de que pelo menos 1.804 novas vagas fossem abertas ao longo da gestão, porém, somente nos últimos seis meses, entregamos 924 novas vagas. Foram cinco unidades prisionais entregues, nesse curto espaço de tempo: Balsas e Açailândia, em setembro de 2015; e Imperatriz, Pinheiro e Pedreiras, em janeiro e fevereiro deste ano”, lembrou o secretário de Justiça e Administração Penitenciária, Murilo Andrade de Oliveira.

O número, que representa exatos 51% do cronograma de obras de reforma, ampliação e construção das novas unidades prisionais no interior, atende ainda ao Termo de Compromisso firmado entre o governador Flávio Dino e o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, em junho de 2015. Outras 880 novas vagas serão abertas, até o fim do ano, com o término da construção das unidades carcerárias em Timon, que terá 306 vagas; São Luiz Gonzaga, que terá capacidade para 312 internos; e Codó, com 156 novas vagas.

Só com a finalização das obras em Balsas e Açailândia, foram abertas, pelo governo, 288 novas vagas no sistema prisional do Maranhão. Nesse mesmo ritmo, a gestão concluiu a construção da Unidade Prisional de Ressocialização de Imperatriz (UPRI 2) que, há mais de oito anos, estava só no papel. Hoje, porém, a UPRI 2 tem capacidade para 210 presos sentenciados que cumprem pena nas cidades da região Tocantina, em um espaço com 18 celas, sendo 16 delas com capacidade para 12 presos, e duas com espaço padronizado para seis apenados.

Construída em uma área de 10.000m², o novo presídio da Baixada Maranhense possui 2 blocos, cada um com 20 celas coletivas com capacidade para até 8 presos. A unidade prisional dispõe, ainda, de oito celas individuais – três para Portadores de Necessidades Especiais (PNE) –, oito celas de visitas íntimas, além de duas áreas amplas para banho de sol coletivo e oito solários individuais. O mais recente estabelecimento penal entregue pela gestão foi a UPR de Pedreiras, entregue essa semana, com capacidade para 120 novas vagas.

Objetivando ampliar ainda mais a quantidade de vagas no sistema prisional e, consequentemente, superar problemas decorrentes de superlotação, foi dado início ao processo de licitação para a construção do Presídio São Luís IV (PSL IV), próximo ao Complexo Penitenciário de Pedrinhas. Com capacidade para 120 internos, o novo presídio é parte de um projeto macro que visa a construção de uma nova unidade prisional ao lado da Penitenciária de Pedrinhas (PP), com capacidade para 682 novas vagas, e novos espaços para oficinas de trabalho.

Busca