Publicidade

Ludovicense precisou trabalhar 78h em dezembro para conseguir comprar itens da cesta básica

Vitória (ES) - Supermercados lotados com filas nos caixas e na entrada funcionam com horário reduzido (Tânia Rêgo/Agência Brasil)

Com um preço de  R$ 334,13 em dezembro, o ludovicense precisou trabalhar 78h e 27m para conseguir comprar apenas os itens da chamada cesta básica. É o que afirma o Departamento Intersindical de Estatísticas e Estudos Socioeconômicos (DIEESE), em mais uma edição do levantamento dos preços das cestas básicas nas capitais do país.

Ainda assim, São Luís apresentou a quinta mais barata cesta básica do Brasil, com aumento de 0,30% nos preços dos alimentos em relação ao mês anterior, e retração de 6,6% em relação a 2016. A capital maranhense ficou atrás apenas Salvador, João Pessoa, Recife e Natal, dentre as cestas mais baratas.

Ainda de acordo com o órgão, com base no custo da cesta mais cara, que em dezembro de 2017 foi a de Porto Alegre, o salário mínimo necessário para uma família de quatro pessoas deveria ser de R$ 3.585,05, ou 3,83 vezes o mínimo de R$ 937,00, segundo o Dieese.

Em novembro, o mínimo necessário correspondeu a R$ 3.731,39, ou 3,98 vezes o piso vigente. Em dezembro de 2016, o salário mínimo necessário foi de R$ 3.856,23, ou 4,38 vezes o piso em vigor, que equivalia a R$ 880,00.

 

 

Busca