Publicidade

Ludovicense precisa trabalhar 11 dias para adquirir produtos da cesta básica

Para conseguir comprar todos os itens da chamada cesta básica, o ludovicense precisa trabalhar mensalmente 97h, ou aproximadamente onze dias. Essa foi uma constatação da Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos, realizada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (DIEESE).

O estudo, que avaliou o preço da cesta básica em 27 cidades, concluiu ainda que ouve aumento no preço do custo do conjunto de alimentos básicos em pelo menos 17 delas. São Luís está entre as que cidades que sofreu menor acréscimo, mesmo assim a cesta custa, em média, R$ 360, 12, o que equivale a 44,48% do salário mínimo atual.

Pelos cálculos do Dieese, para suprir as necessidades básicas de uma família, o salário mínimo ideal deveria ser equivalente a R$ 3.777,93, valor 4,29 vezes superior ao mínimo de R$ 880 em vigor. Esse valor ficou acima do apurado em abril, quando o mínimo ideal foi estimado em R$ 3.716,77, ou 4,22 vezes o piso vigente.

Por aqui, um dos grandes vilões para o aumento da cesta básica foram a farinha de mandioca, feijão; leite; manteiga e; batata.  Já o óleo de soja e a banana tiveram o valor reduzido na maior parte das cidades.

Em maio, entre as 27 capitais pesquisadas pelo DIEESE, São Paulo foi a que apresentou o maior custo para o conjunto básico de alimentos. A cesta chegou a R$ 449,70 na cidade, aumento de 1,65% em relação a abril. Nos cinco primeiros meses do ano, a alta foi de 7,55%.

 

Busca