Publicidade

Justiça Federal condena “índio” Uirauchene a 14 anos de prisão por extorsão

O "índio"

O juiz federal José Magno Linhares, da 2ª Vara da Justiça Federal no Maranhão, condenou o “índio” Uirauchene Alves Soares a 14 anos de prisão por extorsão mediante seqüestro, pena a ser cumprida inicialmente em regime fechado.

De acordo com a denúncia do Ministério Público Federal, em junho de 2004, o réu, acompanhado de indígenas, sequestrou dois servidores da FUNASA e reteve o veículo utilizado por eles, alegando uma dívida de 76 mil reais que a instituição (FUNASA) teria com ele.  Segundo depoimento das vítimas, o denunciado afirmou que só os libertaria após a quitação da dívida.

Os servidores afirmaram ter ficado em poder do sequestrador por oito dias e só foram liberados após negociações com intervenção do Ministério Público Federal. O veículo só foi liberado meses depois.

O Juiz José Magno Linhares determinou que fosse expedido o mandado de prisão, entretanto o réu ainda pode recorrer da sentença em liberdade.

Como já adiantado pelo blog, o “índio” Uraichene, que tentou em vão pressionar o Governo do Estado a pagar por um suposto serviço de transporte escolar indígena, era investigado pela Justiça Federal por extorsão, sequestro e cárcere privado. Crimes que teriam sidos cometidos entre 2007 e 2010.

O acusado chegou a armar uma farsa contra Simone Limeira, assessora especial do Governo do Estado e liderou um grupo de indígenas, que chegou a invadir a Assembleia Legislativa, só para obrigar o governo a dar dinheiro para ele.

 

Busca