Publicidade

Jornalistas sentiram-se ofendidos com “brincadeira” de deputado na tribuna

Charge eletrônica: deputado 100 reais

Na sessão de terça-feira da semana passada, dia 24, na Assembleia Legislativa do Maranhão, uma pequena atitude do deputado Wellington do Curso (PPS) em discurso na tribuna não passou despercebida, repercutiu muito mal entre jornalistas e outros profissionais de comunicação – pelo menos para a grande maioria.

Ninguém quis tocar publicamente no assunto, o que este blog agora faz. E o faz para que, se ainda não sabe da dimensão do ato, passe a saber o nobre deputado. E também o faz em defesa de quem não utiliza sua profissão para achacar, atacar, chantagear e “aplicar” pra cima de políticos.

Em determinado momento do discurso, o nobre deputado, do alto da tribuna, puxou um cédula de R$ 100,00 (cem reais) para fazer um teatrinho “nada original”. Senhores deputados, tenho em minhas mãos uma nota de cem reais”, disse Do Curso, arrancando reação de algumas poucas pessoas que estavam na sala de imprensa. Em tom jocoso e pejorativo, o deputado emendou: Na imprensa ficaram eufóricos, se animaram”.

A “brincadeira” de Wellington foi muito mal recebida, mas ninguém teve coragem de falar ou repreendê-lo. Houve comentários entre os deputados e entre vários profissionais da comunicação, que, mesmo ausentes da Sala de Imprensa, sentiram-se ofendidos.

Outro deputado comentou nos bastidores que é preciso separar o joio do trigo. “Em todas as profissões há pilantras. Tem deputado pilantra, tem médico pilantra, tem policial pilantra, então, deve ter jornalista também. Mas, ele não deveria ter feito esse tipo de coisa na tribuna”, reagiu o parlamentar.

Não se sabe com que tipo de profissional tem lidado o nobre deputado Wellington. Mas, sugiro que busque separar bem os “loucos por dinheiro” dos profissionais sérios que cobrem a Casa diariamente. Não dá pra misturar aventureiro e outros tipos de “eiros” (se é que você me entende) com jornalistas e profissionais de verdade.

Sugiro ainda que, assim como fez a “brincadeira” na tribuna, se desculpe com a classe, até para não ser visto com antipatia. Afinal, não é todo mundo que se pode comprar com uma nota ou muitas notas de R$ 100,00.

 

 

 

Busca