Publicidade

Jornalista pede demissão ao vivo após ser impedido de fazer perguntas a Bolsonaro

 

Um jornalista que participava de uma entrevistava com o candidato à presidência, Jair Bolsonaro (PSL) na manhã desta terça (23) no programa Bom Dia com Rogério Mendelski, na Rádio Guaíba, pediu demissão ao vivo ao ser impedido de fazer perguntas a Bolsonaro.

Juremir Machado da Silva participava do programa juntamente com o outro jornalista e o apresentador quando ao final do programa questionou o candidato afirmando que eles o haviam censurado ao aceitar dar a entrevista se somente se apenas o apresentador do programa fizesse os questionamentos.

“Eu achei humilhante e, por isso, estou saindo do programa. Foi um prazer trabalhar aqui por 10 anos”, afirmou Juremir, que, logo após, deixou o estúdio. Os jornalistas remanescentes reiteraram que o pedido de Bolsonaro não seria “um problema” e tentaram minimizar o caso.

A Rádio Guaíba pertence à Rede Record, do Bispo Edir Marcedo que já declarou apoio a Bolsonaro. No dia 13 de outubro, o site de notícias Intercept Brasil publicou o relato de um funcionário do portal R7, também de propriedade de Edir Macedo, que denuncia censura e direcionamento na cobertura das eleições para publicar apenas notícias que favoreçam o candidato do PSL. Desde então, o Intercept afirma que o império midiático do religioso vem tentando intimidar jornalistas do site.

Busca