Publicidade

“Isso não vai pra lugar nenhum”, afirma Adriano Sarney sobre investigação na Lava Jato contra Rosena

FullSizeRender-2-300x225

Blog do John Cutrim – O deputado Adriano Sarney (PV) herda o DNA da impunidade do seu avô, o ex-senador José Sarney. Em entrevista aos blogs Marrapá e Clodoado Corrêa (veja aqui), o herdeiro da oligarquia afirma que sua tia, a ex-governadora Roseana Sarney, sairá impune da operação Lava Jato. “Isso não vai pra lugar nenhum”, asseverou Adriano, autoconfiante no poder que a família ainda exerce para inocentar Roseana nos tribunais.

O deputado acredita que assim como das outras vezes, quando familiares foram descobertos em traquinagens e estripulias e conseguiram ilesos escapar da prisão, a influência de José Sarney em Brasília e no judiciário poderá, novamente, livrar Roseana Sarney das grades. Por outro lado, na avaliação de analistas políticos, com o fim do mandato e, dizem, sem a capacidade de pressão e chantagem de outrora, Sarney sem exercer cargo político, enfraquecido e com pouco prestígio nacional nada poderá fazer para livrar a barra da filha.

Enrolada até o pescoço com o esquema de propina oriunda de desvio de recursos da Petrobras, Roseana é citada nominalmente pelo ex-diretor da estatal de Abastecimento, Paulo Roberto Costa com beneficiada direta do dinheiro desviado da companhia. Em depoimento, Paulo Roberto afirmou que em 2010 mandou entregar R$ 2 milhões em espécie para a campanha à reeleição da governadora, a pedido do então ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, hoje senador pelo PMDB do Maranhão. De acordo com Paulo Roberto, ele se reuniu pessoalmente com Lobão, que teria lhe feito o pedido.

Paulo Roberto também declarou que se encontrou várias vezes com Roseana Sarney, seja no Palácio dos Leões, sede do governo do Maranhão, ou na casa da própria Roseana. E que, nas reuniões onde estavam apenas os dois, ela [Roseana] sempre perguntava se estava tudo acertado.

Pesa ainda contra Roseana o fato de seu secretário da Casa Civil, João Abreu, ter recebido a remessa de R$ 4 milhões do doleiro Alberto Youssef, preso na Operação Lava Jato. De acordo com Youssef, Abreu recebeu o pagamento em três parcelas. Uma delas, no valor de R$ 1,4 milhão, foi paga pelo próprio doleiro no dia em que foi preso pela PF em março do ano passado em São Luís, quando deflagrada a Lava Jato. O valor pago em espécie teve, sem dúvida, destino certo, pois João Abreu agia em nome da ex-governadora do Maranhão.

Portanto, dificilmente Roseana Sarney sairá impune de mais um escândalo, ainda que para o deputado Adriano Sarney as graves acusações imputadas à sua tia não darão em nada. Certamente crendo que forças sobrenaturais poderão livrá-la da cadeia.

Busca