Publicidade

IBGE apresenta modelo para delimitar limites territoriais do Maranhão

 Humberto Coutinho recebe representantes do IBGE e IMESC para debater limites territoriais do MA

A falta de uma delimitação clara entre os limites territoriais dos municípios que compõem a Região Metropolitana de São Luís tem gerado há muito tempo transtornos principalmente para quem mora nos bairros limítrofes. Isso porque, sem saber a que prefeitura essas regiões de fato pertencem, elas acabam sofrendo ainda com a falta de infraestrutura, além de muitas vezes receberam impostos e taxações de mais de um município.

O problema, aliás, não atinge apenas a capital e está presente na grande maioria dos municípios em todo o estado. Dessa forma, diante desse impasse que já dura décadas, a Assembleia Legislativa em conjunto com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) estudam formas de criar uma delimitação clara entre os bairros que compõem os municípios de São Luís, Paço do Lumiar, Raposa e São José de Ribamar, além de outros pelo Maranhão.

Uma dessas alternativas foi apresentada durante uma reunião do gerente nacional de Divisão Territorial do IBGE e o presidente da Assembleia, Humberto Coutinho (PDT), realizada na última terça-feira (3).  O modelo é aplicado na Bahia e delimitou os limites territoriais daquele estado, que ocupava o primeiro lugar na problemática de demarcação dos limites dos municípios. O projeto tem como base o apoio do Legislativo, Executivo Estadual e IBGE, por meio de um convênio, dando maior eficiência e agilidade ao processo.

“Essa é uma questão extremamente confusa. Apresentamos o trabalho que realizamos na Bahia e que pode ser implantado no Maranhão. Já temos um convênio há algum tempo com o Executivo através do IMESC, mas precisamos avançar para que seja feito também um convênio com o Legislativo, para dar um suporte político ao projeto”, explicou José Henrique da de Silva.

Humberto Coutinho, presidente da AL, ressaltou o compromisso da Casa em apoiar essa parceria. “Nós sabemos que os municípios maranhenses têm problemas fronteiriços. A Assembleia vai dar total apoio nessa discussão, para que juntos possamos definir esses limites territoriais”, garantiu.

Busca